sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Aproveitando o fim de semana

A Estância Hidromineral Ouro Fino conta com 7 trilhas diferentes, fontanários de água mineral natural, bosque, um mantenedor de animais silvestres, lagos, mirantes e churrasqueiras. Além das piscinas de água mineral natural e a Cascata dos Amores, que estavam com acesso bloqueado desde o início da pandemia por medida de precaução. Estes dois atrativos reabrirão a partir deste final de semana (23 e 24) para uso dos visitantes, com capacidade reduzida a 50%. O final de semana ainda conta deliciosas opções de comidinhas oferecidas pelos food trucks. A programação detalhada está disponível no perfil do Instagram da Ouro Fino instagram.com/aguasourofino.

As churrasqueiras também podem ser reservadas e custam R$30. Para fazer a sua reserva, é necessário acessar o site e garantir os ingressos e churrasqueira com antecedência aguasourofino.com.br/estancia-ouro-fino ou adquirir diretamente na portaria no dia da visita.

O acesso à Estância é liberado das 9hs às 17hs e o funcionamento dos food trucks acontece das 11hs às 16hs. O ingresso custa R$ 25 adultos (entre 13 e 59 anos) e R$ 12 infantil e idoso (entre 4 e 12 anos e para maiores de 60 anos).

O espaço segue todos os protocolos de segurança e permite que as famílias tenham momentos especiais de conexão com a natureza. São diversas atrações para aproveitar e desconectar da cidade grande.

Para oferecer segurança aos visitantes, todos que acessarem a Estância devem passar por medição de temperatura e permanecer de máscara durante toda a vista. Além disso, o parque segue operando com número reduzido de pessoas, sendo assim, para garantir a entrada e a churrasqueira, a recomendação é comprar os ingressos antecipadamente pelo site aguasourofino.com.br/estancia-ouro-fino.

Estância Hidromineral Ouro Fino abre ao público de terça-feira a domingo, das 9hs às 17hs. Horário de funcionamento serviço de food trucks: das 11hs às 16hs

Endereço: Estrada Ouro Fino, s/n, Campo Largo – PR (acesso por ônibus a partir do Terminal de Campo Largo, com a linha 107 Bateais)

Sobre a Ouro Fino

A água mineral natural Ouro Fino é envasada e distribuída desde 1898. Com 120 anos, localizada em Campo Largo, no Paraná, consagrou-se como uma das maiores empresas de água mineral natural do Brasil. A pureza e a qualidade são garantidas por mais de 6 milhões de m² de preservação ambiental. Água mineral natural de pH alcalino, pura, leve e com baixíssimo teor de sódio. Hoje a Ouro Fino conta com um portfólio completo de produtos capaz de atender a todas as ocasiões de consumo.- Fotos divulgação.


22 de outubro Dia do Enólogo

Enologia é a ciência que estuda a produção dos vinhos. No dia 22 de Outubro de 1976 a profissão de Enólogo foi regulamentada em todo o Brasil. Além disso, em homenagem ao aniversário da Associação Brasileira de Enologia (ABE), todo ano comemora-se o Dia do Enólogo nesta data.

Os enólogos são os criadores do vinho, responsáveis por todas as etapas de elaboração da bebida, desde as condições do clima, a escolha do solo, da variedade de uva, os métodos de colheita e plantio, fermentação, engarrafamento e envelhecimento. Geralmente são graduados em Agronomia ou Enologia e dominam áreas diversas como geologia, biologia, estatística, física e química. 

O estudo da enologia se profissionalizou em 1876 quando surgiu a primeira escola no mundo, na Itália. No Brasil, o primeiro curso foi fundado em 1959, em Bento Gonçalves (RS).

Para homenagear esses profissionais fundamentais para o mundo dos vinhos, conversamos com sete enólogos de renome mundial: questionamos a motivação pela profissão e pedimos que destacassem alguns vinhos de seus portfólios. Todos têm seus produtos trazidos ao Brasil pelas importadoras Porto a Porto e Casa Flora. Confira!

João Maria Ramos (João Portugal Ramos)

Filho do renomado enólogo João Portugal Ramos, João Maria faz parte da segunda geração do grupo a elaborar vinhos. A vinícola João Portugal Ramos iniciou suas atividades na região do Alentejo, Sudeste de Portugal, em 1980. Hoje o grupo é um dos principais produtores portugueses, com reconhecimento internacional e diversos prêmios. Além do Alentejo, atua nas denominações do Vinho Verde, Douro e Beiras.

O que te motiva a ser enólogo?

A paixão pelo vinho me foi transmitida pelo meu pai e pelos meus avós. A grande motivação é saber que todos os vinhos podem ser aperfeiçoados, logo, todos os dias temos que melhorar o nosso trabalho e experimentar métodos novos. Cada vez mais penso que o nosso trabalho é traduzir as expressões da vinha e das uvas numa garrafa de vinho, temos que saber interpretar muito bem a natureza para conseguir fazer esta tradução.

Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca?

Inevitável destacar o Marquês de Borba Reserva, é um vinho muito especial para a nossa família. Começou na safra de 1997 e apenas é feito em anos extraordinários. Nesses anos temos conseguido obter vinhos únicos e com uma capacidade de envelhecimento enorme. O 2017 fica na memória de quem o bebe, um grande vinho sem dúvida. Outro vinho que não posso deixar de destacar é o Pouca Roupa, que marca entrada da segunda geração na empresa, é um vinho pensado por mim e pela minha irmã Filipa, tentando atrair os consumidores mais jovens; descomplicado e divertido, para ser bebido em jantares com amigos.

 

Jean Jacques Dubourdieu (Domaine Denis Dubourdieu)

Coproprietário da francesa Domaine Denis Dubourdieu, e filho do famoso enólogo Denis Dubourdieu, Jean-Jacques Dubourdieu, atua na empresa desde 2006. Com o falecimento de Denis Dubourdieu (em 2016, no mesmo ano em que foi eleito Homem do Ano pela revista inglesa Decanter), assumiu o comando das cinco propriedades em Bordeaux, na França, juntamente com seu irmão Fabrice. Formado em Enologia, pela Universidade de Bordeaux, auxilia nas questões de viticultura e enologia, além de ser responsável por divulgar os vinhos da Domaine pelo mundo. 

O que te motiva a ser enólogo?

Tive a chance de crescer no Château Reynon e fiz o meu primeiro vinho em 1993, aos 12 anos. Também cresci ao lado do Denis Dubourdieu, o meu pai, grande professor de enologia. Fui treinado muito jovem e na verdade pensei que era normal! Nunca imaginei fazer outra coisa!

Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca?

Adoro o Clos Floridene branco, que é referência em vinho branco em Bordeaux. O terroir único de calcário, e a uva Sémillon de vinhedos antigos, tornam este vinho completamente notável. O Château Reynon tinto tem um valor incrível, um grande Merlot da Margem Direita. O Château Doisy Daëne Barsac é também um vinho muito importante para a nossa família: está em nossas raízes, o meu bisavô, Georges Dubourdieu, comprou este vinhedo em 1924. Além de toda a nossa história ter começado com este Château, este vinho pode envelhecer séculos.

 

Ana Urbano (Caves Messias)

Enóloga da vinícola portuguesa Caves Messias, graduou-se na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Atualmente é responsável pela produção, estágio e engarrafamento dos Vinhos do Porto.

O que te motiva a ser enóloga?

O que me motiva é todo o processo que leva à transformação da uva num produto único como o vinho, algo incrível como a alquimia de juntar vinhos, como no caso do vinho do Porto, para definir estilos. Também o fato de estimular os nossos sentidos e, claro, de poder degustar e apreciar um vinho com quem mais gostamos e saber que mais alguém poderá partilhar essa mesma paixão e experiência num local remoto no mundo.

Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca?

Destaco dois. O Quinta do Valdoeiro Reserva, por ser um vinho de grande complexidade aromática, no qual encontro a fruta preta aliada a notas de iodo; em boca tem grande intensidade, com taninos bem sedosos, com uma frescura incrível. Também o Porto Messias 10 Anos, de grande equilíbrio entre fruta seca e algumas notas de folhas de chá; em boca a frescura e a complexidade de um vinho com mais de 10 anos de estágio em madeira, com taninos redondos, que deixam uma presença incrível na boca.

 

Rui Veladas (Carmim)

Engenheiro e enólogo da vinícola portuguesa Carmim.

O que te motiva a ser enólogo?

O gosto pelo vinho e pelos seus aspetos técnicos, hedônicos e culturais. Igualmente os desafios que cada vindima apresenta, nenhuma é igual!


Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca?

Garrafeira dos Sócios, pela sua história particular e por ter sido o primeiro Garrafeira do Alentejo. É um vinho que permite, mesmo à distância de muitos anos da safra, relembrar as características e o potencial da mesma, com muito prazer à mistura.

 

Tiago Garcia (Carmim)

Também Enólogo da vinícola portuguesa Carmim. Licenciado em Enologia pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Possui pós-graduação em Enologia. pela Universidade de Évora, entre outros cursos do mundo dos vinhos.

O que te motiva a ser enólogo?

É a paixão, estabelecer uma relação com o vinho num percurso sem fim, de viagens constantes, de partidas e regressos, de emoções e desilusões. Aprendi a amar o vinho tenha ele a cor que tiver. Compreender e enquadrar os vinhos que produzimos e bebemos. Explorar ligações gastronômicas diferentes, ser por vezes alquimista, filosófico, poeta. Mas, acima de tudo, compreender melhor o vinho, o seu terroir e as suas características. Construir uma memória que nos relaciona com o vinho de forma autêntica!

Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca?

Destaco uma das nossas mais recentes novidades, o Carmim Tarefa tinto 2019. Tarefa em homenagem ao antigo recipiente de barro utilizado durante gerações para armazenar pequenas quantidades de produtos tradicionais. As tarefas eram onde nasciam os vinhos caseiros, antigamente. Este tinto de 2019 é criado a partir de vinhas velhas de castas como Alicante Bouschet, Castelão ou Moreto. Um vinho muito atraente de aromas, com a fruta muito fresca a aparecer e a dominar no imediato. O barro faz-se notar em conjunto com algum agradável vegetal/ervas de cheiro e tom mais terroso no fundo a encaixar muito bem e dar lhe frescura. Destaco a acidez no paladar com a fruta suculenta e muito limpa, muito prazer para beber e acompanhar pratos de gastronomia regional. Um vinho muito atual, mas que, ao mesmo tempo, lembra outras gerações.

Andrés Caballero (Santa Carolina)

Gerente de Enologia da vinícola chilena Santa Carolina, formou-se em Engenharia Agrônoma da Pontifícia Universidade Católica do Chile. Quando entrou na Santa Carolina liderou um processo de desenvolvimento e exploração de novos vales vinícolas. Possui ótimas críticas da imprensa e medalhas em competições internacionais.

O que te motiva a ser enólogo?

Nos mais de 25 anos que trabalho na agricultura, especificamente na enologia, posso dizer que não vivi dois dias iguais. No meu trabalho, todo dia vem com algo novo. Cada dia tem suas próprias surpresas. Um novo desafio. Um novo método. A necessidade de criar um novo produto para resolver um problema que não existia ontem, para aprender e manter-se a par dos avanços na tecnologia. A possibilidade de viajar e conhecer lugares e pessoas. A motivação para viajar vales onde você pode encontrar aquele canto especial com a combinação perfeita de solo, clima, irrigação e sol.

Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca?

A linha Carolina Reserva. Não só porque oferece um vinho para cada momento, mas porque

seu caráter frutífero, alegre e de excelente estrutura acompanha a jovialidade.

 

Juan Teixeira

Enólogo na Justino´s Madeira.

O que te motiva a ser enólogo?

É podermos transformar o fruto da videira em uma das bebidas mais interessantes que existem no mundo, sabendo de antemão que existem inúmeros fatores que condicionam a qualidade e o caráter único de cada vinho. No caso do vinho da Madeira, o desafio é muito grande. Trabalhamos com vinhos que outras gerações nos deixaram e fazemos vinhos para as gerações futuras. O vinho da Madeira atinge todo o seu esplendor e complexidade após longos anos a envelhecer em madeira, num processo oxidativo que lhe confere as suas características singulares. Por vezes é frustrante saber que quando alguns dos nossos vinhos estiverem no auge provavelmente já não estaremos por cá. Costumo dizer, por brincadeira, que farei parte do grupo de anjos que participa no “desaparecimento” dos nossos vinhos nas nossas caves e é por isso que eu e minha equipa tentamos fazer o melhor. Muitos vinhos da Madeira são elaborados a partir de blends de vinhos de diversas colheitas. A manutenção da consistência dos vinhos e a garantia de que mantemos o perfil da vinícola é um desafio enorme, pois existem inúmeras variáveis que tornam os vinhos diferentes mesmo sendo da mesma colheita.

Dos seus vinhos que fazem parte do catálogo da Porto a Porto, qual você destaca e por quê?

Gosto de todos os vinhos que compõe o portfólio da Porto a Porto. As Reservas Velhas, de 10 anos, monovarietais, produzidos a partir da Tinta Negra, Sercial, Verdelho, Boal e Malvasia, têm uma grande qualidade e revelam a diversidade que o vinho da Madeira pode apresentar e que nos permite apreciá-lo em quaisquer circunstâncias. Logicamente que a minha preferência vai para os vinhos da Madeira que têm alguma evolução como os Colheita 1997 e 1999 produzidos a partir da Tinta Negra. Se tiver mesmo que destacar um vinho é o Justino’s Madeira Terrantez 1978 pela grande elegância e complexidade que apresenta. A marcada salinidade em fim de boca denota o carácter insular que nos transporta para a Ilha da Madeira se estivermos longe. É o que chamo um vinho de meditação. - Fotos divulgação


Enóloga Sandra Zottis comanda degustação no Vino! Batel

 
A enóloga Sandra Zottis é a convidada do Vino! Batel para a edição de outubro da degustação mensal de vinhos que o wine bar realiza. Na próxima quarta-feira (27/10), às 20hs, ela apresenta uma seleção com quatro rótulos de vinhos – dois argentinos, um chileno e um português. Para harmonizar, a premiada gastronomia do Vino! entra em cena, com um quarteto de pratos. O preço por pessoa, incluindo comida e bebida, é de R$ 110. A casa recomenda reservas antecipadas, pelo fone 3359-1077 ou WhatsApp (41) 984-996-022.

 
Os vinhos são os seguintes: Go UP Sauvignon Blanc (Curicó, Chile), Pedra Cancela Rosé - Touriga Nacional (Dão, Portugal), Ramanegra Estate Red Blend e Ramanegra Estate Chardonnay – ambos de Mendoza, na Argentina.

Para combinar, a sequência de pratos traz: Salada de folhas (folhas verdes, parmesão, mix de mostarda e pesto), Carpaccio de Angus (com parmesão ralado e alcaparras, finalizado com azeite e flor de sal), Risoto de Linguiça Blumenau com folhas de rúcula e, como sobremesa, Queijo Brie com mel, morango e amêndoas tostadas.

Sandra Zottis é formada no curso superior de viticultura e enologia, do CEFET de Bento Gonçalves (RS), em 1998. Pós-graduada no mesmo tema, atua em Curitiba desde 2003, sendo uma das profissionais do vinho mais reconhecidas da gastronomia paranaense. Já foi responsável técnica da importadora Magnum e realizou viagens pelos principais países produtores, na América Latina e Europa. Ministra cursos e palestras, sempre com uma linguagem que desmistifica o universo dos vinhos.  

Saiba mais sobre os vinhos:

Go UP Sauvignon Blanc  - A região do vale de Curicó, no Chile, é reconhecida por seus vinhos de excelente qualidade e com características bem marcantes. Tem aroma fresco, com destaque para as notas cítricas e de frutas brancas, especialmente pêssego e maracujá. É um Sauvignon Blanc para quem gosta de vinhos de expressão, bastante refrescantes.

Pedra Cancela Rosé Touriga Nacional - Elaborado por João Paulo Gouveia, um dos mais influentes enólogos do Dão, este vinho é feito com o método de "bica aberta", no qual os rosés são vinificados como os brancos, resultando em maior leveza e frescor. Em seu aroma sobressaem-se as notas de frutas do bosque, com um interessante e exótico toque mineral. No paladar, é equilibrado, trazendo agradável sensação de frescor.

Ramanegra Estate Red Blend – Este tinto é produzido a partir de duas variedades de uva, a Cabernet Sauvignon (60%) e a Malbec (40%), resultando em um blend que representa com categoria o terroir de Agrelo, cultuada região de Mendoza. Após um estágio de seis meses em barricas de carvalho francês, o resultado é envolvente e saboroso. Uma textura macia e aveludada envolve o paladar, com boa acidez e taninos finos. Frutado, tem final longo e persistente.

Ramanegra Estate Chardonnay - Seu amadurecimento se dá por seis meses em barricas de carvalho francês. Após este período, está pronto para envolver o paladar, com muita classe e expressão. Na taça, apresenta uma bela cor amarelo-dourado. Seu aroma evoca frutas tropicais, como abacaxi, com notas cítricas. No paladar, é untuoso, trazendo as frutas tropicais do aroma. Equilibrado e muito refrescante, com ótima acidez. Seu final é longo e persistente.

Degustação Vino! Batel: Rua Comendador Araújo, 891, Batel, Hauer Shopping, dia 27 de outubro (quarta-feira), Horário: 20 horas. Valor: R$ 110 por pessoa. Reservas: (41) 3359-1077 / 984-996-022 (WhatsApp)- Fotos divulgação.

Institucionalizado o CTDL

Para promover a integração regional no litoral, estimular o ambiente de negócios e contribuir para o desenvolvimento de novas ideias empreendedoras, o Comitê Territorial de Desenvolvimento do Litoral do Paraná (CTDL) foi institucionalizado na quinta-feira (21/10). Durante o encontro, realizado em Paranaguá, foram apresentados os eixos de trabalho para prefeitos, secretários, empresários, Instituições de Ensino Superior além de lideranças comunitárias. A ação é coordenada pelo Sebrae/PR. 

O CTDL vai identificar oportunidades e planejar ações que possam beneficiar os cerca de 300 mil habitantes da região, composta pelos municípios de Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná. Para levantar os eixos de trabalho, foi realizada a análise do ecossistema empreendedor, que identificou as áreas de infraestrutura e de acesso a compras como fundamentais para tornar o litoral mais atrativo, produtivo e competitivo. Outras áreas poderão ser adicionadas, posteriormente. 

 

O próximo passo é começar a atuar junto às empresas do litoral, tanto as compradoras quanto as fornecedoras, no sentido de sensibilizá-las para a importância de comprar localmente, sejam empresas públicas ou privadas. Também vamos preparar os negócios que têm potencial de serem fornecedores para vender seus produtos ou serviços de forma competitiva. Dessa forma, será possível criar um ciclo virtuoso de negócios em toda a região litorânea”, conta a consultora do Sebrae/PR, Catiane dos Santos. 

O trabalho promovido pelo Comitê tem o potencial de favorecer a produtividade para novos e existentes empreendimentos, por meio de diálogos e ações promovidas no setor, visando a criação de um tecido social que envolve comunidades regionais e portuárias em prol do desenvolvimento.

Vivemos um momento atípico e há uma necessidade ainda maior de somar esforços com todos os segmentos e o poder público para que possamos criar um ambiente organizacional com relevância no relacionamento das empresas com iniciativas empreendedoras contribuindo no desenvolvimento socioeconômico dos sete municípios do litoral”, conta o presidente do Comitê e empresário, Antonio Saad Gebran Sobrinho.

Participaram do encontro o deputado estadual, Nelson Justus, o presidente da Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa) e prefeito de Paranaguá, Marcelo Elias Roque, o prefeito de Antonina, José Paulo Vieira Azim, o prefeito de Matinhos, José Carlos do Espirito Santo, o prefeito de Morretes, Sebastião Brindarolli Junior, o vice-prefeito de Paranaguá, José Carlos Borba, o secretário de assuntos metropolitanos de Curitiba e coordenador de Relações Institucionais do Pró-Metrópole, Leverci Silveira Filho, o secretário de saúde de Guaratuba, Gabriel Modesto, o presidente do Instituto de Engenharia do Paraná, Nelson Luiz Gomez, o presidente do CTDL, Antonio Saad Gebran Sobrinho, o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, o gerente da regional Leste do Sebrae/PR, Joailson Antonio Agostinho e o representante do Movimento Pró-Paraná, Juraci Barbosa Sobrinho. - Foto Andressa Miretzki

Reality show da RIC Record TV

 


As sobremesas são o próximo desafio dos times que disputam A Grande Batalha de Receitas, reality show da RIC Record TV que entra neste sábado, dia 23, na sua segunda fase.

Os classificados para a nova rodada de batalhas são os times Mendes (foto),Carvalho Kulek, Barbosa, Galva, Lachovski e Cruz Caetano. Eles já deixaram metade dos grupos concorrentes para trás e se classificaram em seis disputadas rodadas, cozinhando receitas típicas dos almoços de família. 

Os episódios vão ao ar todo sábado, às 12h45 para Curitiba e 13h para Londrina, Maringá e oeste do estado. No comando do programa, estão a jornalista Thays Beleze e o comunicador Bruno Previdi. Apresentada pela Zaeli, A Grande Batalha de Receitas tem o patrocínio de mais cinco grandes marcas do Paraná: Britânia, Gazin, Alegra Foods, Senac PR e  Verde Mais Fresh Market. 

Diversão, sabor e emoção

Os times formados por três familiares e amigos que gostam de cozinhar juntos estão batalhando desde 11 de setembro para provar que têm a melhor receita, levando sabor, diversão e emoção para as tardes de sábado. Beto Madalosso, Kika Marder, Eva dos Santos, Délio Canabrava, Eudemar Cavalcanti, Dani Machado, Mariah Luz, André Bezerra e Eduardo Scola integram o super time de jurados que tem a saborosa tarefa de escolher a receita campeã, aquela que melhor representa a gastronomia afetiva paranaense. 

Nos próximos três episódios, até 6 de novembro, mais três times se classificam para a fase semifinal. O quarto time a batalhar por uma vaga nessa etapa sairá de uma repescagem por pontos. As semifinais terão duas rodadas, nos dias 13 e 20, e o tema das receitas será um café da tarde. Na grande final, que está marcada para o dia 27 de novembro, os times terão que preparar uma refeição completa, com entrada, prato principal e sobremesa.

Os vencedores levarão para casa um super kit de eletrodomésticos Britânia, 12 cestas de produtos Zaeli, R$ 4 mil em vouchers do Verde Mais Fresh Market, 1 colchão de casal Gazin, R$ 2 mil em crédito para compras no e-commerce da Gazin, um curso técnico em gastronomia na Faculdade Senac, 1 cesta de produtos Alegra Foods e um final de semana no Eco Resort Capivari.

Cozinha do MON

Uma grande equipe foi mobilizada para produzir o primeiro reality show do Grupo RIC. O programa foi gravado na cozinha de eventos do Museu Oscar Niemeyer (MON), com todos os cuidados sanitários, incluindo testes semanais de Covid-19 e uso de máscaras por toda a equipe. “O formato foi desenvolvido pelo Núcleo de Reality Shows do Grupo RIC e a produção coube à GP7 Cinema, uma das maiores produtoras do Brasil, sob a direção dos premiados cineastas Guto Pasko e Andréia Kalábo. Sempre foi um desejo de Leonardo Petrelli, CEO do grupo, e a equipe aceitou o desafio”, diz Marcus Werneck, gerente Corporativo de Produção e Interfaces Multiplataforma e coordenador geral do projeto.

Sobre o Grupo RIC 

Fundado na década de 1980 por Mário Petrelli e o filho Leonardo Petrelli, o Grupo RIC é um dos maiores grupos de comunicação do Paraná e o único a atuar com produtos multiplataforma que alcançam audiências complementares. Desde o perfil de público mais simples ao mais exigente, crítico e de maior poder aquisitivo, todos os paranaenses podem ser impactados por um de seus produtos de comunicação. Os canais de distribuição do Grupo são formados por 4 emissoras de TV afiliadas à Rede Record - RIC Record TV Curitiba, RIC Record TV Maringá, RIC Record TV Londrina e RIC Record TV Oeste -, as rádios Jovem Pan Curitiba, Jovem Pan Ponta Grossa e Jovem Pan Cascavel, a RIC FM Curitiba, a Igapó FM e a Folha FM Londrina, o portal RIC Mais, a plataforma TOPVIEW, a Spark, plataforma de influenciadores digitais do Grupo,  e o Instituto RIC de Atitude Social. - Foto divulgação.

Halloween está chegando

O Halloween já virou uma data tradicional para o Shopping Estação, que inova todos os anos para garantir a diversão da família. A programação já está definida e vai ter espaço instagramável, apresentações de teatro, personagens aterrorizantes pelo shopping, caça aos doces e pintura facial.

A partir do dia 29 de outubro, os clientes já encontrarão um espaço temático com bruxas, teias, vassouras, caveiras em um cenário perfeito para fazer muitas fotos para as redes sociais.

No Dia das Bruxas, 31 de outubro, a partir das 14hss, visitantes horripilantes vão invadir o shopping: uma turma de bruxas e zumbis vão circular pelos corredores, elevadores e estacionamento, interagindo com os clientes e divertindo a todas as idades.

A “Caça aos Doces”, o momento mais esperado pelas crianças, também será realizada no dia 31, das 14hs às 18hs. As lojas participantes da ação estarão adesivadas e vão entregar balas para os pequenos. As famílias que quiserem participar terão acesso a um mapa das guloseimas que estará disponível no site www.shoppingestacao.com.br e também em pontos estratégicos do shopping, em um QRCode.

No Espaço Faz de Conta, os personagens Dr. Botica e Fragâncio vão fazer a hora do conto de terror. As apresentações serão gratuitas e ocorrerão às 14hs e às 16hs. Além disso, das 14hs às 18hs, haverá uma equipe especializada fazendo pintura facial. 

Sabemos que a data é muito apreciada pelos moradores de Curitiba, por isso fazemos questão de proporcionar uma experiência que reúna ação, diversão e claro, cultura. Preparamos tudo com muita atenção, cuidado e seguindo todos os protocolos de segurança”, explica Patrícia Rodrigues, gerente de marketing do Shopping Estação.

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Malauí, estilo e bom gosto aliado ao sabor

 

Malauí, que significa Sol Nascente na linguagem africana, foi o nome escolhido pelo casal de empresários Anderson e Cristiane Krefer, para o seu restaurante. Ele do setor da metalúrgica e ela do varejo/moda resolveram fazer algo junto e escolheram o mundo da gastronomia. “Foi uma inspiração que não sabemos explicar, mas rapidamente as ideias foram surgindo e chegamos à proposta de um local de encontro com gastronomia saudável”, conta Cristiane. “Queríamos algo que fosse além de comer bem, queríamos oferecer textura, sabor e frescor”, completa Anderson.

Em dezembro de 2020, o Malauí abria suas portas. Localizado no Batel (Rua Teixeira Coelho,350 ), ambiente acolhedor que leva assinatura da arquiteta Claudia Pereira, atende 32 pessoas. Com um amplo menu, cuidadosamente escolhido pelos proprietários, criado pela consultora em negócios de alimentação Lidi Barbosa (lidi_barbosa) e atualmente executado pela chef Deysy Karila, são pratos vão desde a cozinha mediterrânea e contemporânea até comfort food.

Aberto de segunda a sexta-feira para almoço e jantar (11h30 às 14h30 / 17hs às 22hs) e aos sábados das 12hs às 22hs, o Malauí oferece entradas para compartilhar, saladas, sanduíches, pratos executivos no horário de almoço, pizzas de fermentação natural e risotos no jantar.

Entre os mais pedidos estão Salada de Grãos (rúcula, mini cenouras assadas, mix de arroz com grãos, abóbora assada, castanha de caju torrada, azeite de oliva extra virgem), Toast de Salmão (pão feito de forma artesanal e fermentação natural, mini folhas de rúcula, nosso molho cremoso de limão, salmão curado, molho tarê e temperos da casa), Strogo Vegano (strogonoff de cogumelos. Com leite de coco, queijo vegano e batata palha, todos produzidos artesanalmente na casa sem nenhum tipo de conservante, servido juntamente com arroz cateto integral, e um mix de cogumelos Paris e shitake).

A saborosa Pizza Malauí (massa artesanal de fermentação natural, molho de tomate da casa, burrata, vinagrete de manjericão, mini rúculas), também está entre as mais solicitadas. Boa D+. Recomendo.

Para beber, há smoothies, sucos, matte, kombuchas, refrigerantes orgânicos, vinhos, espumantes, cervejas e drinks, além de cafés com variações com leite vegetal. 

Alguns doces como brigadeiro (vegano), cookies de baunilha com doce de leite, cheesecake e bowl de açaí orgânico também estão no cardápio. “É um menu inclusivo, com muitas opções vegetarianas e veganas, mas acima de tudo priorizamos o sabor”, diz Anderson.

Recentemente o cardápio do Malauí ganhou novos sabores que valorizam ainda mais o frescor e os insumos típicos das estações mais quentes, são eles: 

Entre as novidades está o Camarão Thai – camarões ao molho de tamarindo, curry, leite de coco e especiarias. Acompanhado de um leve arroz basmati e lascas de coco, sem enfeites supérfluos mas de sabor inconfundível.

O Tartar de mignon – Clássico tartar de carne, mostarda dijon, alcaparras e temperos da casa é outras das delicias. Bem condimentado, deixa na boca o gostinho de quero mais.

A Salada de salmão - mix de folhas, tiras finas de salmão curado, molho de limão e castanhas, finalizada com tarê da casa e raspas de limão, já se tornou uma de minhas preferidas.

De sobremesa destaque para o Cheesecake de frutas amarelas – cheesecake com base de farinha de amêndoas, recheio de castanhas e óleo de coco finalizada com geleia com frutas amarelas.

O restaurante também possui delivery (ifood e rappi).

Malauí Restaurante: Rua Teixeira Coelho, 350 – Batel.Abre de segunda a sexta-feira 11h30 às 14h30 / 17h às 22h – sábado das 12hs às 22hs - Fotos divulgação e Marian Guimarães

terça-feira, 19 de outubro de 2021

Risotos ganham destaque na rede Au-Au

O Au-Au Lanches sempre trazendo novidades. Dessa vez os risotos também desfilam em seu variado cardápio. Este clássico da cozinha italiana está presente com cinco opções, sendo que quatro estão disponíveis em todas as lojas, enquanto um deles, o Risoto Toscana, é exclusivo das lojas de shopping Center. Na foto o risoto de funghi.

Os risotos do Au-Au têm receita própria e são preparados com arroz arbóreo.

Nas lojas de rua, o público pode escolher entre as seguintes versões: Tomate seco com rúcula (foto), Frango cremoso (com frango grelhado em cubos, bacon, queijo catupiry), Funghi (funghi e champignon na manteiga) e Carne seca desfiada com abóbora.

Cada risoto sai a R$ 34,90. Mas se o cliente quiser incluir uma salada, com este adicional o preço é de R$ 44,90. Ela traz alface-americana, alface roxa, rúcula e cenoura ralada, com molho ranch e bacon crocante.


Além das lojas de rua, estes quatro risotos também podem ser pedidos nas lojas de shopping ou pelo delivery do Au-Au - disponível pelo aplicativo próprio, telefone (41 3092-0800) ou iFood.

Já o Risoto Toscana, criado especialmente para as lojas de shoppings, leva na receita arroz arbóreo, salsicha tipo americana grelhada, ervilha, molho ao sugo, catupiry e finalização com queijo parmesão. Ele tem o preço de R$ 19,90. Com salada, o combo sai por R$ 29,90. O Au-Au está presente nos shoppings Mueller, Barigui, Palladium e Alto da XV Mall. Este risoto não está disponível no delivery. - Fotos Marcelo Krelling

Dia do Médico

Na segunda-feira, 18 de outubro, data em que se comemora o Dia do Médico, o médico intensivista do Hospital São Vicente, Cauê de Azevedo Lima, foi um dos homenageados na sessão solene realizada pela Câmara Municipal de Curitiba. A solenidade, proposta pelo vereador Alexandre Leprevost, parabenizou os serviços prestados pelos profissionais à comunidade.

Sobre o Grupo Hospitalar São Vicente-FUNEF

O Grupo Hospitalar São Vicente-FUNEF, formado pelo Hospital São Vicente Curitiba, fundado em 1939, e pelo Hospital São Vicente CIC, inaugurado em 1973, atende a diversas especialidades, sempre pautado pela qualidade e pelo tratamento humanizado. Referência em transplantes de fígado e rim e nas áreas de Oncologia e Cirurgia, desde 2002 o Grupo é mantido pela Fundação de Estudos das Doenças do Fígado Kotoulas Ribeiro (FUNEF).

O Hospital São Vicente Curitiba é um hospital geral de alta complexidade. Em uma estrutura moderna, conta com pronto-atendimento, centros médico, cirúrgico e de exames, UTI, unidades de internação e centro de especialidades. Possui o selo de certificação intermediária de transplantes hepático e renal da Central Estadual de Transplantes do Paraná e seu programa de Residência Médica é credenciado pelo Ministério da Educação (MEC) nas especialidades de Cirurgia Geral, Cirurgia Digestiva, Cancerologia Cirúrgica e Radiologia.

A instituição integra ainda a lista de estabelecimentos de saúde que atendem ao padrão de qualidade exigido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, órgão regulador vinculado ao Ministério da Saúde.

Na foto: Da esquerda para a direita, o vice-prefeito, Eduardo Pimentel, o presidente da Câmara, Tico Kuzma, o homenageado, Dr. Cauê Azevedo de Lima, do Hospital São Vicente, e o vereador e vice-presidente da Casa, Alexandre Leprevost.  Crédito: Carlos Costa/CMC

Portos do Paraná é destaque em prêmio nacional

A Portos do Paraná foi mais uma vez reconhecida nacionalmente por boas práticas de operação e gestão. Na quarta-feira (14), a empresa pública responsável pela administração dos portos de Paranaguá e Antonina, recebeu Prêmio ANTAQ 2021, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), em duas categorias. 

Esse reconhecimento da agência reguladora da atividade portuária no país é realizado a cada dois anos. Nesta edição, a Portos do Paraná ficou em 1º lugar em “Conformidade Regulatória”, entre os portos públicos organizados e 2º lugar na categoria Desempenho Ambiental, modalidade “Maior Índice de Desempenho Ambiental 2020”.

A solenidade de entrega foi no Clube Naval, em Brasília/DF, no final da tarde do dia 14. A empresa pública foi representada pelos diretores de Desenvolvimento Empresarial, e presidente em exercício, André Pioli, e de Meio Ambiente, João Paulo Ribeiro Santana.

Os portos do Paraná, mais uma vez, foram agraciados com o título de porto mais organizado no Brasil. Parabéns aos trabalhadores do complexo portuário, aos trabalhadores portuários avulsos, aos representantes das empresas e a toda a nossa gestão e ao Governador do Estado, Ratinho Júnior”, afirma Pioli.

Segundo ele, o trabalho desenvolvido nos portos paranaenses é exemplo para todo o país. “Estou aqui representando o diretor-presidente Luiz Fernando Garcia, um gestor técnico, reconhecido nacional e mundialmente como administrador de Portos”, completa.

O diretor de Meio Ambiente, João Paulo Ribeiro Santana, que recebeu a premiação pelo Índice de Desempenho Ambiental (IDA), também celebrou o resultado. “Novamente estamos à frente dos maiores portos do Brasil. Esse é um prêmio de toda a comunidade portuária. Agradeço, em especial, a confiança do nosso governador, nosso secretário de Infraestrutura, Sandro Alex, e nosso presidente Luiz Fernando Garcia, que nos faz atuar com a melhor qualidade possível, deixando a técnica imperar à frente do nosso trabalho”, diz.

O diretor agradeceu, em especial, aos colaboradores da Portos do Paraná e à equipe da Diretoria de Meio Ambiente. “Esse prêmio é de vocês!”, completa.

Na categoria “Conformidade Regulatória”, como explica a ANTAQ, foram premiadas as empresas que melhor atenderam o novo modelo de perfil de risco da fiscalização da Agência.

Entre os portos públicos, nos três primeiros lugares, na modalidade “Porto Organizado”, além da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (1º lugar) estão a Companhia Docas de São Sebastião (2º lugar) e Companhia Docas da Paraíba (3º lugar).

Nessa mesma categoria, na modalidade Arrendamento, as empresas TCP (1º lugar) e Rocha Terminais Portuários e Logística S.A (3º lugar) também foram premiadas nesta edição.

Meio ambiente

Já entre os portos públicos selecionados na categoria de gestão do Meio Ambiente, junto com o Porto de Paranaguá (2 º lugar), estão os portos de Itajaí/SC (1º lugar) e Terminal Portuário de Pecém/CE (3º lugar). 

"Ao premiar fomentamos a concorrência e promovemos a inovação e o desenvolvimento de um setor que é tão importante para a nossa economia. Precisamos de um setor portuário preparado e ainda mais forte para o futuro", disse Marcelo Sampaio, secretário executivo, no ato representando o Ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas.

Como afirmou, no evento, Eduardo Neri, diretor geral da Antaq, o prêmio Antaq, neste ano, trouxe a novidade de destacar as melhores atitudes responsivas, na categoria de Conformidade Regulatória para premiar boas condutas. 

Era o que faltava para destacarmos ainda mais a questão da Governança. É muito bom ver os portos e as administrações correndo atrás de alcançar ainda mais e melhores resultados”, completa Neri.

Conquistas

No último mês de setembro, os portos do Paraná foram eleitos os portos sob a melhor gestão pública do Brasil. O reconhecimento foi feito pelo governo federal na segunda edição do Prêmio “Portos + Brasil”, entregue pelo Ministério da Infraestrutura. 

Vencedora em duas das oito categorias, a empresa pública Portos do Paraná liderou o ranking nacional nas práticas de mercado e em gestão. Este foi o segundo ano consecutivo como líder do ranking. - Fotos divulgação.